Gulbenkian Cuida – Ninguém está Só!

A Santa Casa da Misericórdia de Campo Maior viu aprovada a candidatura ao concurso promovido pela Fundação Calouste Gulbenkian, em parceria com o Instituto da Segurança Social (ISS), destinado a reforçar a capacidade de resposta das organizações da sociedade civil que prestam apoio à população idosa, um dos grupos de maior risco da pandemia Covid-19, designadamente no apoio domiciliário, na prestação de cuidados e serviços às pessoas mais isoladas, tendo em vista a satisfação das necessidades básicas e o seu bem-estar.

Neste sentido, o projeto denominado Ninguém está só!”, teve inicio em Maio de 2020 e termo em 31 de Dezembro de 2020

Os objetivos de intervenção deste projeto foram:

– Reforçar e melhorar as condições de apoio no domicílio a 52 utentes da Santa Casa da Misericórdia de Campo Maior;

– Diminuir os efeitos nefastos da redução da rotina dos utentes em virtude das circunstâncias atuais;

– Contribuir para a criação de rotinas saudáveis no domicílio dos idosos;

– Promover hábitos alimentares e de estimulação que contribuam para a saúde física, cognitiva e mental dos idosos;

– Avaliar e monitorizar parâmetros básicos de saúde;

– Introduzir fatores de orientação no tempo e no espaço do domicílio;

– Facilitar as ligações com o exterior de idosos que estão no domicílio.

Ninguém Está Só – reflexão de fim de projeto

O projeto Ninguém Está Só disponibilizou um apoio fundamental na vida de 52 idosos que, à força das circunstâncias inesperadas e indesejadas provocadas pela pandemia Covid 19, tiveram que regressar às suas casas por força do fecho da resposta social de Centro de Dia ou que já recebiam apoio no domicílio.

Transformar serviços e adaptar estratégias para não deixar ninguém só, foi um desafio e uma luta constantes. Nesta fase foi fundamental pensar em ideias dinâmicas, fora da nossa zona de conforto, seguras e capazes de chegar a todos aqueles que estavam mais isolados. Era urgente transferir para a casa de cada um – o lugar que por ora se apresenta como o mais seguro, cuidados, conforto, estímulo, apoio, orientação e afeto.

O apoio alcançado no âmbito da iniciativa Gulbenkian Cuida veio contribuir para suavizar os efeitos tão indesejados decorrentes da situação que vivemos.

Tendo as atividades sido pensadas numa lógica de continuidade, a grande maioria destas assumiram uma temporalidade compreendida entre os meses de maio e dezembro (coincidentes com o início e fim do projeto).

Nesta fase, Campo Maior, concelho de residência dos beneficiários deste projeto, vive uma situação manifestamente mais acentuada no que ao número de casos ativos de Covid 19 diz respeito, aliás, como um pouco por todo o país. Em cumprimento do Novo Estado de Emergência tivemos que fechar novamente a resposta social de Centro de Dia, pelo que, continua a ser premente apoiar todos os idosos que estão em casa.

As ações, previstas em candidatura, cujo foco visa o acompanhamento a idosos e seus familiares e a estimulação física e cognitiva permitiram criar “lugares de conforto” em casas onde, por vezes, apenas um idoso vive.

Pela disponibilidade de adquirir equipamentos audiovisuais, pudemos chegar à casa dos nossos utentes sem que a sua segurança fosse comprometida. Entre sorrisos inesperados pelo espanto de nos sabermos perto embora distantes fisicamente, foi possível que os dias dos nossos utentes fossem mais acompanhados e estimulantes. Por outro lado, foi possível capacitar cuidadores formais e informais que puderam ser facilitadores de novas abordagens e estratégias de cuidados, junto dos nossos utentes.

A possibilidade de poder, em 2021, dar continuidade às atividades de maior impacto do projeto constitui-se como um enorme benefício para estes idosos.

Projeto financiado por: